Música de Momento

terça-feira, 22 de agosto de 2006

Lelslie



Entre brumas
(Leslie Holanda)

Caminhando
Peregrina dos desejos
Busco incansavelmente você
Quando irei te encontrar
Será que depois das brumas
O sol estará a brilhar
Será que estarás lá
Andando
Errante das repetições
Incessante procura
Quando irei me achar
Será que entre as brumas
Em meio à solidão
Sol despontará...será

sexta-feira, 18 de agosto de 2006

Leslie

Leslie...

Em noite de Lua
(Leslie Holanda)
Em noite de Lua
Nudez visível
Corpos em nós
Nós a sós
Turbilhão de carinho
Salientes aromas
Maresia da paixão
Luar...mar
Você e eu
Eterno namorar

quinta-feira, 17 de agosto de 2006

Leslie

eslie...

Âncoras no Mar
(Leslie Holanda)

Ancora no porto de possibilidades
Descarrega tua alma juvenil
Teus beijos de paixão
Teus afagos quentes
Tua ânsia de prazer
Revela-se no instante que reviro
E descubro conchas, areia, vida
Antes deserta, nativa, inativa.
Ancora no porto verdade
Profundo de águas claras, cristalinas
No meio da reserva
Há espaço, escolhas para mergulhar
Num mar azul onde há vida
No fundo do mar.
Ancoro no porto eu
Revelados nas algas,
Cavalos-marinhos, estrelas do mar
Nas águas únicas, quentes
Onde encontro teu olhar.
Quando não ancoras
Subo as velas do pensamento
E busco teu porto
Seguro, possivel, imprevisível
Visível querer.
Grita o marinheiro:
Âncoras no mar!
E volto a sorri
Hei de reencontrar-te!

quarta-feira, 16 de agosto de 2006

semana Leslie


emana Leslie...

Lua
(Leslie Holanda)

Olho a lua

Luz irradiando querer

Mágica, redonda

Entorpece, enlouquece.

Encanto com o brilho reluzente

E ao luar que és ausente

No amor presente

Não posso te tocar.

A beira do rio

Vigio teu olhar

No frio...grito

Chamo...ecos no ar.

Respira luar

Na solidão da ausência

És a presença

Oh! Lua...Luar

terça-feira, 15 de agosto de 2006

Niver da Leslie

FELIZ ANIVERSÁRIO AMIGA

Um brinde...

(Leslie Holanda)

Ao reencontro profundo
Do nós
A toda forma de amar
A magia de um encontro
Imprescindível, íntimo.
Um brinde...
As conquistas
Aos risos e lágrimas
As possibilidades
Ao querer.
Um brinde...
Aos nossos frutos
Ao namoro
Ao beijo e desejos
As escolhas
Ao futuro
A você
A nós
Ao amor.
(Um brinde a nossa amizade querida amiga, que voce tenha neste dia de hj tudo que mereças, como já dizem: Mire suas metas na Lua, porque se vc errar, ainda assim vai estar entre as estrelas...beijinhos e ótimas comemorações...)

segunda-feira, 14 de agosto de 2006

Semana Leslie

Semana dedicada a uma Pessoa Incrivelmente Sensível...



Navegar é...
(Leslie Holanda)

Perceber que sentimentos bons devem ser vividos...
Que julgar sentimentos...
É perda de tempo.
Que sentir você me faz...
Navegar Vencer correntezas,
Desbravar mares desconhecidos.
É permitir novas manhãs,
Novos sentimentos,
Novas sensações,
Possibilidade de paixão,
Quem sabe amor...
De verão,
Da estação,
Porém, em nenhum momento em vão...
És a emoção que não posso calar.
E, que se tento sinto que não sou eu.
Celebro com você uma viagem de cumplicidade
Única e imperdível.
Te espero em mim.

sexta-feira, 11 de agosto de 2006

Pai Nosso

Pai Nosso
(desconheço o autor)
Se em minha vida não ajo como filho de Deus,
fechando meu coração ao amor.
Será inútil dizer: pai nosso.
Se os meus valores são representados pelos bens da terra.
Será inútil dizer: que estais no céu.
Se penso apenas em ser cristão por medo,
superstição e comodismo.
Será inútil dizer: santificado seja o vosso nome.
Se acho tão sedutora a vida aqui,
cheia de supérfluos e futilidades.
Será inútil dizer: venha a nós o vosso reino.
Se no fundo o que quero mesmo é que
todos os meus desejos se realizem.
Será inútil dizer: seja feita a vossa vontade.
Se prefiro acumular riquezas,
desprezando meus irmãos que passam fome.
Será inútil dizer: o pão nosso de cada dia nos dai hoje.
Se não importo em ferir, injustiçar, oprimir e
magoar aos que atravessam o meu caminho.
Será inútil dizer: perdoai as nossas ofensas,
assim como nós perdoamos
a quem nos tem ofendido.
Se escolho sempre o caminho mais fácil,
que nem sempre é o caminho certo.
Será inútil dizer: e não deixes cair em tentação.
Se por minha vontade procuro os prazeres materiais
e tudo o que é proibido me seduz.
Será inútil dizer: livrai-nos do mal.
Se sabendo que sou assim,
continuo me omitindo e
nada faço para me modificar.
Será inútil dizer: amém.

quinta-feira, 10 de agosto de 2006

Lua cheia

Lua Eterna Amiga
(Lindamar C.C. de Mello)

Quando no Céu surgis brilhante.
Estendendo pelo mundo teu manto elegante.
Deixa-me pensativa e estonteante,
Com tantas lembranças, já bem distantes.
De um passado, onde eras venerada pelos amantes.
Quantas juras de amor ouviste.
Mil beijos e abraços apaixonados assististe.
Com teus raios deslumbrantes.
Deixaste os apaixonados delirantes.
Hoje te vejo com amor e respeito.
Pois desde criança, sinto emoção dentro do peito.
Ao admirar teus encantos, teus traços perfeitos.
Nas noites claras, enfeitiçadas pelos teus efeitos.
Lua, eterna amiga, nas minhas noites solitárias.
Que não são poucas, são várias.
Procuro em ti, afastar tristes pensamentos.
Deixo-me levar por doces momentos.
Cheios de encantos e embevecimentos.
Vejo-te sorrir como antigamente.
Como na minha infância, que estavas sempre presente.
Nas noites alegres, lindas e quentes.
Quando eu brincava muito feliz e contente.
Sob teu clarão, bem evidente.
Lua, eterna amiga dos apaixonados.
Lua, sempre conselheira dos desencantados.
Lua, companheira fiel, dos desesperados.
Que se encontram, dos seus amores separados.

quarta-feira, 9 de agosto de 2006

Oásis

Oásis
(Madi)

Faço do meu amor um oásis
E ele faz dele um deserto
Ao seu lado, vivo como os beduínos
- morta de sede

terça-feira, 8 de agosto de 2006

Sábio


Sábio
(Vander Lee)

Sábia é a voz que vem de Deus
Sábia é a paz
De dentro de nós, dos olhos teus
E não se apraz
Nas bibliotecas e museus
Sábio é o sol
Sábio é o cantar do sabiá no arrebol
Quando a tarde quer dizer adeus
Nem ciência, nem religião
Sem explicação
Puro estado de contemplação
Meu coração
Repousa no galho da canção
Sábio é o sol
Sábio é o cantar do sabiá no arrebol
Quando a manhã estende a mão, viu?


segunda-feira, 7 de agosto de 2006

Flutuando




FLUTUANDO
(Isar Maria Silveira)

Serena flutuo
entre o tempo e o vento.
Sou paz de outono,
entardecida em por-de-sol.
Sou perfume de primavera,
mistura de orvalho e flor.
Sou tempo lento
escorrendo horas
sem pressa,
na amplidão da vida.

domingo, 6 de agosto de 2006


Outra Lua
Soledade Santos
Outra Lua encheu e começa a minguar,
imensa Lua de inverno branca
em desmaiado azul de antemanhã.
Que luz se entranhou nas mãos
e abriu fissuras,
no coração cala o canto
e nos olhos, do choro faz calmaria.
Tão pálida, tão alta.
Aprende-se a olhá-la
como fragmento de nós ausente,
espelho de mundo sem espessura.
Uma Lua
como se não torna-se a haver Verão.

sábado, 5 de agosto de 2006


Amar
Mário Quintana
Amar...
Fechei os olhos para não
te ver e a minha boca para
não dizer...
E dos meus olhos fechados desceram
lágrimas que não enxuguei,
e da minha boca fechada
nasceram sussuros e palavras
mudas que te dediquei...
O amor é quando a gente mora
um no outro.